Leia mais

Há outros artigos e livros de Marcos e Suely Inhauser à sua disposição no site www.pastoralia.com.br . Vá até lá e confira
Coinfira também dicas de economia em www.ondecharoque.com.br

quarta-feira, 10 de junho de 2015

ESSA É A MIRANDA!

Brasileira, filha de chineses e vivendo agora na China, eu a conheci em Beijing. Estávamos visitando nossa filha e a acompanhamos à sua loja. Cansado de ouvir tantas mulheres conversando, tinha me desligado do entorno. A certa altura ouvi um papo animado em português. Era minha filha, minha esposa e mais alguém que não reconheci a voz. Fui ver quem era e assim a conheci.
Entrei na conversa e soube que ela vive há quase 10 anos em Beijing. Casada com um alemão, já rodou pelo mundo. Quando estávamos em um aniversário, alguns dias mais tarde, e todos falavam inglês e eu minha esposa já estávamos sufocados de tanto ouvir e falar um idioma que não é o nosso. Chega a Miranda e aí a conversa ficou entre nós três. Soube que foi criada em Igreja Batista, pais severos. No dizer dela, “começou a viver quando saiu de casa e foi para a faculdade”. Trocamos experiências, mas algo começou a me chamar a atenção: a preocupação dela com os estrangeiros, especialmente os brasileiros que vivem na China. Ela está envolvida com uma associação de brasileiros  (Brapeq) e é quem, de certa forma, carrega as coisas nas costas. Seu ministério é promover eventos para que os brasileiros possam se reunir, se conhecer e estreitar os laços de amizade. Os almoços e eventos organizados pelo Brapeq são, de certa maneira, a única maneira com que muitos brasileiros que moram quase toda uma vida fora do Brasil, de manter as tradições, falar sua língua e sentir saudades juntos.  Ela se dispõe a pegar suas próprias coisas, quando necessário, abrir sua casa para eventos e passar horas organizando e preparando almoços e jantares, simplesmente pelo prazer de ver a comunidade brasileira se reunir e celebrar sua brasileiridade. Ela está envolvida nisto até o pescoço e o faz como ministério e vocação.
No meio da conversa falamos sobre ser graça e benção na vida dos outros. Há muito tempo não encontrava alguém que tivesse noção prática da graça de Deus como ela. Não havia nela teologia, conceitos, mas prática.
Durante a festa, minha esposa mencionou o quanto a Miranda estava linda e que tinha adorado sua blusa.  No dia seguinte, quando chegamos em casa, havia uma sacola com um bilhete.  Era a mesma blusa que minha esposa tinha admirado no dia seguinte.  Quando perguntei à minha filha porque ela havia enviado tal presente, a sua resposta foi simples: essa é a Miranda!
Alguns dias mais tarde, em outro evento, tinha a certeza de que ela também estaria. Não veio. Perguntei à minha filha por ela e fui informado de algo que me emocionou: a Miranda estava fazendo uma festa de aniversário para uma pessoa que nunca tinha tido uma festa bem feita. Ela se dispôs a pegar as suas coisas (cristais, taças e talheres), levar à casa da pessoa e fazer para ela o que nunca tinha recebido. A minha filha completou: essa é a Miranda!
Há muitas pessoas que fazem o que devem fazer, no entanto, há poucas que fazem aquilo que ninguém quer ou se atreve a fazer. Não fazem para aparecer, serem elogiadas, reconhecidas ou aduladas.  Fazem, pelo prazer de ajudar e trazer um pouco de felicidade aqueles ao seu redor. Fazem porque são canais da graça de Deus.

Essa é a Miranda!!!
Marcos Inhauser