Leia mais

Há outros artigos e livros de Marcos e Suely Inhauser à sua disposição no site www.pastoralia.com.br . Vá até lá e confira
Coinfira também dicas de economia em www.ondecharoque.com.br

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

MOVIDO A MÚSICA

Em casa havia um dito: se o rádio está ligado, o Marcos está em casa. Desde pequeno andei fuçando para ter música à mão. Lá nos idos, eu fiz rádio de galena (pequena engenhoca que pegava uma única estação, sem uso de pilha ou outra fonte de energia) e ficava à noite ouvindo música.
Dei um jeito de ter um rádio na cabeceira da cama. Por reclamações com o som dele, tirei os falantes e coloquei debaixo do travesseiro para não atrapalhar os irmãos. Muitas destas rádios desligavam às onze ou meia-noite e eu ficava bravo por não ter música para ouvir. Arrumei um de Ondas Curtas porque podia ouvir até mais tarde, sem ter que desligar à meia noite. Tive uma vitrolinha portátil que ficava até tarde da noite ligada, tocando a meia dúzia de compactos e LPs que tinha.
Fiz das tripas o coração para ter como pegar FM, quando só havia estação em São Paulo. Queria ouvir a Eldorado porque me disseram que só tocava músicas. Consegui, mas nem sempre com recepção boa. Comprei um rádio portátil à pilha e descobri quão caro era ficar trocando-as por ficarem todas as noites até tarde ligado.
Uns colegas diziam que eu tinha um rádio muito bom e que para leva-lo para todo lado eu colocava rodas. Assim foram meus carros. O advento do walkman foi o céu. Tive vários, todos trocados por quebrar ou por modelos menores. A fita cassete me deu a chance de levar minhas músicas preferidas por todo lado, ainda que tivesse que carregar uma caixa. O Discman foi outra coisa que usei aos montes. Tive mais de 200 CDs. Veio o MP3 e aí me arrumei como sempre sonhei. Leve, portátil, econômico, usa pouca pilha. Achei que tinha tudo, até que peguei o IPod.
Digo estas coisas porque entramos na estação que mais músicas maravilhosas tem a ela dedicado: o Natal. Fico impressionado com a quantidade e qualidade das músicas natalinas e fico a pensar que só pode ser por Deus que tanta gente compôs tanta maravilha para falar do evento maior da humanidade. Ontem fiquei horas no Youtube vendo corais cantando canções natalinas. Tenho que confessar que lágrimas rolaram mais de uma vez.
No universo das músicas natalinas só tenho um reparo: a composta pelo Beatle John Lennon. Ela é linda, mas conseguiu escrever e cantar algo sobre o Natal sem mencionar a Jesus Cristo. Ainda bem que existe o Messias de Haendel, o Surgem Anjos Proclamando e tantas outras.
Obrigado Deus pela graça da música, aperitivo do céu!!
Marcos Inhauser